Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Até hoje, dia 8 janeiro 2014, como Presidente República, Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Cavaco Silva está no poder há 6908 dias (18 anos e 339 dias). .

Agora temos, ao menos, este auxílio: Um relógio com a contagem decrescente para a libertação final!!

Agradecemos ao CDS-PP ter dado a ideia do relógio com contagem decrescente!

Este contador assume que o mandato de Cavaco terminará a 29 de Fevereiro de 2016 (para nosso azar, 2016 é ano bissexto)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D





Hora de prestar contas

Sábado, 24.11.12

 

Os dois homens na foto, Constâncio e Durão, têm muita coisa em comum: Foram líderes do PS e do PSD; ocuparam grande cargos da Nação (Governador do Banco de Portugal e Primeiro Ministro); ocupam altos cargos em entidades responsáveis pelo nosso resgate (Vice-Presidente do BCE e Presidente da Comissão Europeia).

Ocupam estes cargos europeus graças à projeção que os lugares que ocuparam a nível nacional lhes deram, e também graças à diplomacia nacional, paga com o nosso dinheiro, que trabalhou arduamente para que as suas candidaturas fossem bem sucedidas. O interesse nacional ficaria melhor protegido com tão altas figuras em cargos chave, diziam-nos.

Nestes tempos tão conturbados, tão críticos, tão humilhantes para Portugal, estes representantes parece que passam ao lado do que cá se passa.

Ouvimos a Presidente do FMI dizer que a Austeridade em excesso pode ter efeitos negativos, lemos que das três instituições da Troika, EC e BCE (i.e, aquelas que têm portugueses à cabeça) são as mais inflexíveis na mudança das políticas draconianas que estão a ser impostas aos países resgatados, incluindo Portugal.

Que andam, pois, a fazer estes homens por Portugal? Estão distraídos? Acreditam nas medidas que estão a ser impostas? Caso não acreditem, serão incapazes de impor a sua visão às instituições que lideram? (se assim for, porque não se demitem?)

Até admito que andem, em surdina, e discretamente, a defender os interesses de Portugal. Mas se assim for, chegou a hora de nos prestarem contas e de nos dizerem o que andam a fazer por nós.

Não aguentamos mais o silêncio complacente destes senhores face às barbaridades que nos têm sido impostas pela Troika.

 

Nota: O "Sítio com vista sobre a cidade" está à vontade para falar de Constâncio, porque sempre disse, no caso BPN, que o culpado é o ladrão e não o polícia. Mas o silêncio e complacência de Constâncio / Durão não são aceitáveis, e são mesmo repugnantes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 12:35








Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...