Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Até hoje, dia 8 janeiro 2014, como Presidente República, Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Cavaco Silva está no poder há 6908 dias (18 anos e 339 dias). .

Agora temos, ao menos, este auxílio: Um relógio com a contagem decrescente para a libertação final!!

Agradecemos ao CDS-PP ter dado a ideia do relógio com contagem decrescente!

Este contador assume que o mandato de Cavaco terminará a 29 de Fevereiro de 2016 (para nosso azar, 2016 é ano bissexto)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D





Pensem bem

Quinta-feira, 02.06.11

Milton Friedman, o guru do liberalismo, dizia que "Apenas uma crise produz uma mudança real". O PSD segue à risca esta cartilha e procura agarrar a oportunidade desta crise para pôr em causa o Estado Social em Portugal.

É essa a mensagem que Passos  nos deixa, quando diz que quer ir além do acordado com a Troika. 

O PSD quer aproveitar as dificuldades que muitos portugueses passam, o desgaste de uma governação difícil, e o ambiente propício construído por uma comunicação social tendenciosa, para alterar o paradigma em que Portugal viveu nos últimos trinta e tal anos, e que tantos benefícios trouxe

É tempo, pois, para que os eleitores pensem bem naquilo que querem. 

Aqueles que têm filhos, ou netos, em escolas públicas e que sentem que estas estão melhores que há 5 ou 6 anos atrás, devem pensar bem antes de votar.

Aqueles que tendo filhos em escolas privadas e que equacionam transferi-los em escolas públicas, porque sentem que hoje estas proporcionam uma alternativa de qualidade e bem mais em conta, devem pensar bem antes de votar.

Aqueles que estando em situação de precariedade laboral, e estão naturalmente desagradados com a situação que vivem, pensem bem se a alternativa é votar num partido que defende contratos de trabalho celebrados oralmente.

Aqueles que beneficiam do Sistema Nacional de Saúde, e que desejam que o mesmo não seja desvirtuado, com a introdução de pagamentos para os supostamente mais favorecidos (o que mais não fará do que introduzir uma diferença de tratamento entre aqueles que pagam e os que não pagam)  deverão pensar bem antes de votar um partido que o quer desvirtuar.

Aqueles que não querem privatizações em áreas tão sensíveis como a Banca (CGD) ou comunicação social (RTP) devem pensar bem antes de votar.

 

Eu sei que é difícil pensar bem nestes temas, quando temos uma comunicação social que nos intoxica com ódios e falsidades sobre o actual Primeiro-Ministro. Mas também isso deve fazer reflectir: Uma comunicação social dominada por grandes grupos e grande milionários (Balsemão, Cofinas do Correio da Manhã, Joaquim Oliveiras, etc) defende apenas o interesse dos seus patrões, e esses têm muito a ganhar com as políticas liberais que o PSD promete implementar.

 

Uma boa escolha. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 09:40








Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...