Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Até hoje, dia 8 janeiro 2014, como Presidente República, Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Cavaco Silva está no poder há 6908 dias (18 anos e 339 dias). .

Agora temos, ao menos, este auxílio: Um relógio com a contagem decrescente para a libertação final!!

Agradecemos ao CDS-PP ter dado a ideia do relógio com contagem decrescente!

Este contador assume que o mandato de Cavaco terminará a 29 de Fevereiro de 2016 (para nosso azar, 2016 é ano bissexto)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D





Gordon Brown foi escutado durante dez anos pelos jornais de Murdoch

Terça-feira, 12.07.11

Neste blog, tenho falado insistidamente na imoralidade e parcialidade com que os grupos de comunicação social distorcem a realidade, manipulam a opinião pública e condicionam resultados eleitorais (Basta olhar para as tags mais usadas neste blog. "Manipulação" é aquela que se destaca).

Se as opiniões públicas aceitam hoje pacificamente discursos que defendem o fim do Serviço Nacional de Saúde, como aquele que foi proferido por Cavaco Silva no passado fim-de-semana, em muito se deve a esta comunicação social, detida por ricos, que veícula ideais que beneficiam os ricos, mesmo que à custa do interesse do povo.

Tenho repetidamente afirmado que o Estado da comunicação social é uma ameaça bem real à saúde das democracias. O caso das escutas a Gordon Brown ilustra de forma eloquente esta ameaça a que me refiro.

Murdoch (e aqui falo no nome do proprietário dos jornais em causa, porque me parece impossível que ele não soubesse dos métodos usados pelos seus empregados) pura e simplesmente tinha Gordon Brown nas mãos.

Qualquer passo do ex-Ministro das finanças e o ex-Primeiro Ministro do Reino Unido poderia fazer a manchete dia seguinte num qualquer jornal do Grupo, ou ser usado como chantagem para que Brown não ousasse enfrentar os interesses de Murdoch.

É pois um mundo ao contrário este, no qual o poder está longe de residir naqueles que seriam os legítimos representantes do povo, para residir em figuras que nunca foram a votos. É caso para nos indignarmos, se não mesmo nos revoltamos...

 

Mais uma vez publico um excerto do "Indignai-vos", de Stéphane Hessel:

 

"Cabe-nos a todos em conjunto zelar para que a nossa sociedade se mantenha uma sociedade da qual nos orgulhemos:

(...) não essa sociedade da qual os media estão nas mãos dos poderosos (...)"

 

E conclui:

 

"E é por isso que continuamos a apelar a uma verdadeira insurreição pacífica contra os meios de comunicação de massas que só apresentam como horizonte à nossa juventude uma sociedade de consumo, o deprezo pelos mais fracos e pela cultura, a amnésia generalizada e a competição renhida de todos contra todos"

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 16:48

1 comentário

De Nuno a 12.07.2011 às 20:10

é urgente alguém criar um jornal assumidamente de esquerda que combata este estado de coisas. É um acto de cidadania!

Comentar post









Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...