Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Até hoje, dia 8 janeiro 2014, como Presidente República, Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Cavaco Silva está no poder há 6908 dias (18 anos e 339 dias). .

Agora temos, ao menos, este auxílio: Um relógio com a contagem decrescente para a libertação final!!

Agradecemos ao CDS-PP ter dado a ideia do relógio com contagem decrescente!

Este contador assume que o mandato de Cavaco terminará a 29 de Fevereiro de 2016 (para nosso azar, 2016 é ano bissexto)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D





Na corrida ao Novo Banco é a chinesa Anbang quem dá mais

Quinta-feira, 02.07.15

deng-xiaoping_1858283b.jpgDeng Xiaoping, líder político da República Popular da China entre 1978 e 1992. É o criador do chamado socialismo de mercado

 

E a venda de anéis e dedos continua airosa...

"À frente da Anbang está Wu Xiaohui, um empresário conhecido pelas suas relações com o poder. Wu já foi casado com a neta de Deng Xiaoping, o reverenciado líder comunista chinês".

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 10:59

Carlos Costa: "Eu não referi fraude", após a interpelação de João Galamba

Sexta-feira, 08.08.14

Tome nota das questões levantadas por João Galamba e oiça o Governador do Banco de Portugal a negar que sabia de fraudes no BES desde Setembro de 2013, ao contrário do que tinha dito no Domingo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 09:41

Pedro Adão e Silva lapidar sobre a "solução" para o BES que será anunciada com o governo a banhos

Domingo, 03.08.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 20:15

Augusto Santos Silva: as tias da Comporta, o povo e o duplo padrão moral

Terça-feira, 22.07.14

Augusto Santos Silva numa análise imperdível à forma como é tratada o desmoronamento do GES.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 23:24

Momento Zen: João Duque a pôr a hipótese de nacionalizar toda a banca de retalho

Sábado, 19.07.14

Quando um liberal esbarra de frente com a realidade, temos um belo momento de televisão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 13:26

A não perder! Ricardo Paes Mamede e a crise no BES

Quarta-feira, 16.07.14

...mas será melhor não ver o vídeo, se quiser ficar mais tranquilo com este assunto

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 10:55

Excelente proposta

Sábado, 29.06.13

A proposta de António José Seguro para reformar o IMI. Seguro quer baixar o IMI que é pago pelos cidadãos. Em contrapartida, e para compensar a quebra de receita, Seguro propõe que os fundos imobiliários e a banca comecem a pagar IMI. A isenção de IMI que estas entidades beneficiam é injusta e, num momento como o atual, absolutamente intolerável.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 22:31

Jeremy Irons no 5 para a meia noite

Quarta-feira, 19.06.13

Análise muito incisiva e certeira de Jerery Irons sobre a crise na Europa. "Alguém sabe a quem devemos tanto dinheiro?", pergunta.

Diversos autores (ver por exemplo "O manifesto dos economistas aterrados") exigem a realização de uma auditoria à dívida pública que encontre a resposta a esta pergunta de Jeremy Iron. No entanto, essa elementar peça do puzzle que permitiria identificar claramente quem beneficia com os estratosféricos juros de dívida pública que pagamos, nunca foi exigida pelos responsáveis europeus e nunca esteve na agenda do Governo. 

Até porque como já sabemos, o objetivo que a Europa e o Governo nacional perseguem não é resolver pela raiz os problemas suscitados pela desregulação de mercados financeiros, mas antes definhar o Estado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 09:11

A destruição da Caixa Geral de Depósitos vista por Nicolau Santos

Terça-feira, 04.06.13

Nunca me satisfez a ideia de limitar salários nos gestores das empresas do Estado, quando as empresas privadas podem pagar o que lhes der na gana. Se o objetivo fosse limitar salários obscenos de gestores de topo (objetivo que teria a minha concordância), o Estado tem uma excelente ferramenta que é a política fiscal, e essa tanto afetaria Gestores públicos como privados.

Ao atingir apenas empresas do Estado, fico desconfiado se o propósito não será outro: aniquilar ou pelo menos definhar o setor público.

Ora, acabadinho de chegar, o Governo reduziu os salários da administração da CGD.

Vem isto a propósito do facto da Assembleia da CGD da semana passada em que o Ministério das Finanças foi incapaz de completar a equipa de gestão da Caixa.

Posto isto, e principalmente depois de ouvir a crónica de hoje de Nicolau Santos na Antena 1 fico com a ideia que tamanho falhanço na Caixa não resulta tanto de incompetência, mas antes de uma estratégia deliberada para destruir o setor público, incluindo o Banco público.

O melhor é mesmo ouvir Nicolau Santos no Contas do Dia de hoje na Antena 1.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 11:23








Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...



subscrever feeds