Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Até hoje, dia 8 janeiro 2014, como Presidente República, Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Cavaco Silva está no poder há 6908 dias (18 anos e 339 dias). .

Agora temos, ao menos, este auxílio: Um relógio com a contagem decrescente para a libertação final!!

Agradecemos ao CDS-PP ter dado a ideia do relógio com contagem decrescente!

Este contador assume que o mandato de Cavaco terminará a 29 de Fevereiro de 2016 (para nosso azar, 2016 é ano bissexto)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D





Até quando?

Quinta-feira, 22.01.15

Sem Título.jpg

As escutas da "operação Marquês" são usadas para fins meramente políticos, sem qualquer relação com os crimes de corrupção que andam a ser investigados, e são papagueadas numa qualquer publicação do empresário angolano Álvaro Sobrinho (Correio da Manhã, jornal i ou Sol). Acontece isto na mesma semana em que o diretor do JN afirma que essas fugas de informação provêm diretamente da investigação, referindo os nomes de Carlos Alexandre e Rosário Teixeira. E quais as consequências desta denúncia?

Nenhumas!

Varre-se a porcaria para debaixo do tapete, com a confiança que ninguém irá reparar.

Até quando vamos admitir a acumulação da imundice debaixo do tapete?

Tudo isto, só fortalece a tese de Mário Soares: "Sócrates é um preso político!"

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 04:10

Até quando?

Quinta-feira, 22.01.15

Sem Título.jpg

As escutas da "operação Marquês" são usadas para fins meramente políticos, sem qualquer relação com os crimes de corrupção que andam a ser investigados, e são papagueadas numa qualquer publicação do empresário angolano Álvaro Sobrinho (Correio da Manhã, jornal i ou Sol). Acontece isto na mesma semana em que o diretor do JN afirma que essas fugas de informação provêm diretamente da investigação, referindo os nomes de Carlos Alexandre e Rosário Teixeira. E quais as consequências desta denúncia?

Nenhumas!

Varre-se a porcaria para debaixo do tapete, com a confiança que ninguém irá reparar.

Até quando vamos admitir a acumulação da imundice debaixo do tapete?

Tudo isto, só fortalece a tese de Mário Soares: "Sócrates é um preso político!"

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 03:41

Estado não cumpre e assobia para o lado

Segunda-feira, 19.01.15

É imperativo comprar o JN e com isso defender a liberdade de expressão e rejeitar o pensamento único que é imposto pelo CM.

Alguns excertos do artigo "Estado não cumpre e assobia para o lado", de Afonso Camões:

"A Coisa publicada - que lidera em Portugal o triste campeonato das condenações e dos crimes por difamação, abuso de liberdade de imprensa, de violação do direito de reserva da vida privada e outras malfeitorias escritas que tais - mente e manipula, sabe que o está a fazer, mas vai ter que responder por isso, mais uma vez. Associa-nos a um fantasioso plano conspirativo para a tomada do poder na comunicação social, a mando do antigo primeiro-ministro José Sócrates. Esse mesmo, aperreado há 59 dias sem culpa formada, detido preventivamente por suspeitas de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal."
(...)
"Ele deveria ter publicado a informação, que lhe veio, disse-me depois, por um seu camarada, diretamente da investigação, liderada pelo juiz Carlos Alexandre e pelo procurador Rosário Teixeira. Erro maior, criminoso, é ser verdade essa possibilidade: que a fuga de informação veio dos agentes da justiça, ou seja, de onde menos podemos admitir que se cometam crimes de violação do segredo de justiça.

Sim, eles falam com jornalistas!"
(...)
"Falei a Joana Marques Vidal das escutas de que estaria a ser alvo, da violação do segredo de justiça, da tentativa de condicionamento da minha liberdade enquanto diretor de jornal e jornalista, e da necessidade de a procuradora-geral, como guardiã dos direitos dos cidadãos, atuar para impedir esta violência e a continuação destes crimes. Disse-nos nada poder fazer e, candidamente, aconselhou-nos a consultar um advogado..."
(...)
"Mas voltemos à audiência na Procuradoria-Geral da República. O diretor do DCIAP, Amadeu Guerra, considera que "não há política neste caso" e, sem que eu o tivesse questionado, sublinhou a confiança dos seus "homens no terreno" (estou a citá-lo), negando, primeiro, ter ouvido as escutas, mas, depois, confirmando ter ouvido mas não tudo.
(...)
Quem é essa gente, que atira a pedra escondendo a mão?!"
Ler o artigo completo em:
 http://www.jn.pt/opiniao/default.aspx?content_id=4349425

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 10:27

Justiça e Educação: omissões deliberadas no discurso de Cavaco

Domingo, 05.10.14

O discurso de Cavaco analisado por Sócrates

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 21:29

O comentário de José Sócrates por temas. 16 de março de 2014

Domingo, 16.03.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 23:33

Comentários de José Sócrates por temas. 9 de fevereiro 2014

Domingo, 09.02.14

Sócrates demonstra que foi o atual Governo que decidiu vender as obras de Miró

 

Outros vídeos:

Sócrates e o novo mapa judiciário

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 23:15

Educar os juízes

Sábado, 14.12.13

O extraordinário livro "O Preço da desigualdade", de Joseph Stiglitz, toca em diversos pontos que apesar de terem os EUA como pano de fundo, se aplicam totalmente a Portugal.

A coincidência resulta do facto de muitas das práticas e decisões que o nosso Governo se justificarem não tanto por razões conjunturais, mas essencialmente por razões ideológicas. Os EUA têm professado a sua fé nos mercados e na doutrina neo-liberal, desde a era Reagan. Os resultados têm sido penalizadores para 99% da população americana, mas nada que aflija o Governo Português que se esforça para ser o melhor aluno da escola de Chicago.

 

A forma como o Governo tenta educar os juízes do Tribunal Constituicional não é prática original, como se pode ler num excerto do livro de Stiglitz que agora cito:

"A Direita reconheceu a importância da educação no moldar das perceções, e é por isso que tem estado ativa na tentativa de influenciar o modelo de currículo nas escolas e embarcou num programa de "educação" com vista a tornar os juízes mais letrados na economia, ou seja, inclinados a ver o mundo através das estreitas lentes da economia conservadora".

 

Assim lido, parece que Stiglitz está a pensar do Ministro Maduro, porta vozes do PSD e toda a trupe de comentadores que tem pressionado o TC, não é?

 

 

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 13:06

A Anatomia de um golpe

Segunda-feira, 05.08.13

Artigo de Nicolau Santos, hoje, no site do Expresso

 

"Revejo o excelente documentário que Pedro Coelho realizou para a SIC sobre o BPN, com o título "Anatomia de um golpe".

No final de um dos episódios, depois de ouvidos três especialistas em off-shores, que garantem que mesmo quando o dinheiro se escapa por estes paraísos financeiros fica sempre um rasto, é colocada a pergunta decisiva: qual a razão misteriosa pela qual as autoridades não vão atrás deste dinheiro, preferindo antes esperar pelo final de um morosíssimo processo judicial aparentemente infindável?

Mais uma vez se constata que Oliveira e Costa convidava amigos a quem vendia acções a um preço X e se comprometia a recompra-las passado dois ou três anos pelo dobro ou triplo do valor. E mais uma vez se constata que de políticos a empresários, a esmagadora maioria dos convidados para a festa era tudo gente ligada ao PSD. Dias Loureiro, Joaquim Coimbra, Alberto Figueiredo, Francisco Sanches estiveram mesmo ligado à administração. Cavaco Silva e Rui Machete foram duas personalidades que tiveram lucros significativos com o investimento que foram convidados a fazer.

Sabe-se já que houve muita gente que recebeu financiamentos que nunca pagou e quem tenha feito excelentes mais-valias com a compra e venda de acções: 150% ou mais do que tinha investido. É bom que essas pessoas percebam que os financiamentos que não liquidaram e as mais-valias que embolsaram estão agora a ser pagas pelos contribuintes. Mais de quatro mil milhões de euros. Um escândalo sem precedentes. Como lembrava recentemente Silva Lopes, o BPN está a custar muito mais ao país que Alves de Reis e Jorge de Brito juntos".

É por isso inadmissível este "laissez faire" por parte das autoridades judiciais, que cinco anos depois de iniciado o processo, mantém apenas Oliveira e Costa em prisão domiciliária e não conseguem identificar os que beneficiaram de empréstimos fraudulentos e conduziram à implosão do banco.  
Um banco que tinha na administração uma pessoa com o apelido de Fantasia e outra com o apelido de Caprichoso só podia acabar mal. É lamentável que o Banco de Portugal não tenha conseguido evitar a falcatrua. Mas é inadmissível que as autoridades judiciais não tenham conseguido até agora meter mais uns quantos senhores na prisão e recuperar grande parte dos 4000 milhões que os contribuintes estão a pagar para evitar a falência de um banco que não tinha qualquer salvação e que é sobretudo um caso de polícia. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 15:26

Miguel Sousa Tavares e a justiça

Segunda-feira, 27.05.13

Dizem que Miguel Sousa Tavares chamou palhaço a Cavaco Silva. O Ministério Público irá rever decisões passadas sobre ataques ao bom nome de detentores de cargos políticos?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 23:12








Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...