Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D



Stiglitz explica a crise: falha dos mercados e os erros dos políticos

Sexta-feira, 18.05.12

Na Assembleia-Geral da ONU, o Nobel da Economia previu que a austeridade não vai funcionar.

O Nobel da Economia Joseph Stiglitz afirma que as políticas de resposta à crise, em particular a austeridade, estão a falhar e prevê "uma década perdida para a Europa e Estados Unidos". "A austeridade não tem funcionado e não vai funcionar", sustentou ontem, num debate de alto nível sobre a situação da economia mundial, na Assembleia-Geral das Nações Unidas.

"Nenhuma grande economia alguma vez recuperou com programas de austeridade de um abrandamento ou recessão económica, e muito menos da magnitude que enfrentam hoje a Europa e Estados Unidos. E estas são ambas grandes economias", afirmou o Nobel. Para Stiglitz, as reformas estruturais em curso não vão tirar a Europa da recessão em breve, e quando "mal desenhadas ou aprazadas, podem até exacerbar os problemas", afectando a procura global, que deveriam estar a estimular. Na génese da crise, afirmou, esteve a "falha dos mercados", que levaram a bolhas especulativas, e "hoje os mercados estão a falhar outra vez". "É claro que os mercados não estão a usar os nossos recursos bem. E os nossos governos estão a falhar na correcção destes desequilíbrios dos mercados", afirmou. "Meia década depois do rebentar da bolha, as economias não estão reparadas e não parece que regressarão ao normal em breve", sublinhou Stiglitz, lembrando o exemplo dos anos 1980 na América Latina, uma década "perdida" devido a uma acumulação de políticas erradas.

No "pico da crise", há quatro anos Stiglitz presidiu a um grupo de peritos convocado pelo presidente da AG da ONU, para preparar um relatório com propostas para resposta à crise. O seguimento destas propostas "não foi tão longe" como deveria, afirmou, no combate à desigualdade e em particular na reforma dos mercados financeiros, que não regressaram a um patamar "estável e sólido".

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 09:47






Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...