Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D


Governar para as estatísiticas (1)

Terça-feira, 07.07.09

A governação para as estatísticas tem sido criticada pela direita portuguesa, nomeadamente pelo seu ideólogo-mor, José Pacheco Pereira, num artigo recente publicado no Público, reproduzido no blog Abrupto. A verdade é que as estatísticas são uma maçada para a direita, porque demonstram aquilo que a retórica procura esconder.


Divulguemos, pois, os gráficos e os números que a prosa falaciosa de Pacheco esconde.


Os dados nos 2 gráficos seguintes têm como fonte a Eurostat

 

Indicador 1) Investimento em Investigação e Desenvolvimento em % do PIB

 


  

 

O gráfico mostra um aumento significativo do investimento em investigação e desenvolvimento, durante o governo Sócrates, traduzindo-se numa aproximação à média Europeia.

 

 

Indicador 2) Desigualdade social

 

O indicador da desigualdade utilizado pelo Eurostat tem como base o rácio "Total de rendimento auferido pelos 20% da populacao mais rica" sobre o "Total de rendimento auferido pelos 20% da populacao mais pobre". Claro que Portugal ainda é uma país mais desigual que a média Europeia dos 15 (ie, com a composicao anterior ao alargamento a 27 Estados Membros), mas a verdade é foi nos anos em que Ferreira Leite era a Ministra das Finanças (2002-2004) que a desigualdade social mais se agravou.

 

Rasguemos, pois, o rendimento de inserção social. Rasguemos o complemento de Rendimento para idosos. Rasguemos o acordo para aumentar o salário mínimo. Rasguemos, por último, as estatísticas, essas malvadas que ajudam as pessoas a limpar a areia dos olhos.

 

Afinal de contas, "Devo à providência a graça de ser pobre." –António Oliveira Salazar

 

PS – A saga das estatísticas vai continuar no "Sítio com vista sobre a cidade"

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 22:31

Colocação de professores

Terça-feira, 07.07.09

A Fenprof veio dizer que "Este foi um dos piores concursos de sempre". Isto, apesar de terem sido colocados cerca de 30 mil professores para os próximos 4 anos.

 

Fica-se assim a saber que a Fenprof tem saudades dos concursos anuais de Santana Lopes (repare-se bem que a notícia sobre os saudosos tempos do Governo de Santana é de 24 de Setembro de 2004, e os professores ainda não estavam colocados…).

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 18:04

Mário Soares

Terça-feira, 07.07.09

São sempre bem vindos os artigos que nos ajudam a ver a floresta. Mário Soares, no DN de hoje.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 17:50

Quando as verdades são meras curiosidades (2)

Terça-feira, 07.07.09

Também no Jumento, surge aquela referência ao artigo do Correio da Manhã que dá conta do seguinte:

 

ADVOGADOS INGLESES POEM EM CAUSA O CASO FREEPORT

 

 

«Arturo John e Ben Rose, da sociedade Hickman & Rose, escreveram um artigo no ‘Times’ on-line em que arrasam o trabalho do SFO. 'O SFO está envolvido num fiasco que pode ter ditado o destino do primeiro-ministro português, José Sócrates, e determinado o resultado das eleições de Setembro', pode ler-se na internet.

Os advogados fazem uma resenha pormenorizada de todo o processo Freeport e escrevem que 'para além das questões de política interna de Portugal', o caso Freeport pode 'decapitar o Eurojust, a instituição europeia a quem compete ajudar o combate ao crime entre os vários países'. » [Correio da Manhã]

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 02:01

Gostaria de ter escrito isto

Terça-feira, 07.07.09

 E SE MANUELA FERREIRA LEITE FALASSE A VERDADE?

 

 

 

Agora que Manuela Ferreira Leite anda a apregoar verdade seria muito interessante se nos contasse toda a verdade sobre dois negócios que, enquanto ministra das Finanças, passaram pela sua mão.

Seria muito interessante que apresentasse as contas e o contrato da venda das dívidas do fisco ao City Bank, um negócio em que o banco internacional ganhou milhões à custa da pressa de Manuela Ferreira Leite tapar o défice orçamental que apesar das políticas restritivas e dos truques contabilísticos.

Seria também bom se Manuela Ferreira Leite contasse tudo quanto sabe sobre o negócio falhado da compra da GALP pela Carlyle, uma empresa representada em Portugal por gente do PSD e que nos últimos tempos está no centro do caso Freeport, caso que ressurgiu quando a Carlyle adquiriu a Freeport e de forma milagrosa apareceu um DVD que serviu para difamar Sócrates, coincidência das coincidências o DVD apareceu num jornal que pertence a um dirigente do PSD. O negócio consistia na compra pela Carlyle e os amigos locais do PSD da GALP com recurso a dinheiro gentilmente emprestado pelo PSD, negócio que ficou inviabilizado por causa de uma intervenção do abelhudo do Chico Anacleto.

Será que Manuela Ferreira Leite vai mesmo assumir o papel de avó verdade e contar-nos estas duas histórias?

 

In O Jumento

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 01:59





Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...


subscrever feeds