Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D


Jorge Jesus, Obama e Michelle

Segunda-feira, 09.08.10

A crónica genial é de Ferreira Fernandes:

 

A colunista Maureen Dowd, do New York Times, meteu-se, este fim-de--semana, entre marido e mulher. O título da crónica é "Feliz Cumpleaños, and Adiós" (em anglo-espanhol, o que daria "Parabéns e bye-bye", em português). Fala da visita de Michelle Obama a Maiorca, tendo deixado o marido, solitário, a festejar o 49.º aniversário. Maureen Dowd não é cronista de fofocas, vive em Washington e os protagonistas dos seus textos são os grandes da política - já ganhou um Pulitzer. O que ela pretendeu com a crónica foi comentar o que interessava os seus leitores. Na semana passada falou-se muito da visita a Espanha de Michelle e do aniversário do Presidente. As pessoas comuns estranharam: "Então, ela deixou-o sozinho com o bolo de aniversário?" Uma das bizarrias do jornalismo americano é que bons jornalistas se interessam pelo espanto da gente comum. Alguns leitores mais cultos e exigentes - como, por exemplo, são todos os leitores portugueses - certamente que se incomodam por uma cronista conceituada não se dedicar exclusivamente ao tipo de manilhas capaz de estancar a hemorragia de petróleo no poço da BP, esse, sim, um problema a valer. Eu, se fosse jornalista americano, faria uma crónica a que, infelizmente, a grande exigência do jornalismo português me impede. O tema seria: a cabeleira de Jorge Jesus, ganhando, percebo; mas a perder ele corre grande riscos.

 

PS - Para aqueles que deram por isso: Sim, eu sei tenho estado muito caladinho...Preguiça, meus caros, simplesmente preguiça. O meu silêncio não significa um encolher de ombros perante as malfeitorias dos procuradores Freeportianos, ou perante o liberalismo assanhado deste novo PSD, ou perante o apoio tácito que BE e PC continuam a dar a Passos Coelho...Nada disso, continuo a sentir indignação, e mesmo revolta...mas a preguiça estival é o diabo! Tomara que passe...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 10:03





Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...


subscrever feeds