Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D


Eleições perigosas: entre a Troika e a Troika Plus

Segunda-feira, 23.05.11

Ando com pouca paciência para escrever sobre estas eleições. Não que as considere pouco importantes, pelo contrário, mas porque me sinto impotente para influenciar quem quer que seja. Mas cá vão alguns pensamentos que me têm ocorrido.

As eleições que se aproximam fazem-me lembrar um jogo entre o Benfica (ou Sporting, ou Porto, para ser democrático) e o Vila Real: Nada de bom pode acontecer ao clube grande, porque se ganhar nada há a celebrar. Se perder é um descalabro.

Se o PS ganhar (como espero) nada podemos celebrar, porque o que aí vem será duro e difícil de suportar.

Se o PS perder é um descalabro. Será o fim, ou pelo menos uma histórica machadada, num modelo económico e social, que apesar de todos os defeitos, permitiu que milhões de portugueses conseguissem ter acesso a um sistema de educação e que vivessem bastante melhor. Um modelo que fez com que Portugal atingisse valores de excelência em termos de cuidados de saúde, que nos fazem olhar para baixo quando nos comparamos com algumas das nações mais ricas do planeta. É triste, mas o caso não para menos, pois o PSD, justiça seja feita, cumpriu o que prometeu: apresentou um programa mais radical que o da Troika (se o programa do PSD fosse um combustível, teríamos de o chamar o programa Troika Plus).

O programa Troika Plus é um programa que levará a um aumento das diferenças entre ricos e pobres, que contribuirá para a exclusão de uma larga fatia da população nacional e a prazo ao empobrecimento geral do país. Foi o que aconteceu sempre que programas de cunho vincadamente liberais foram implementados (veja-se o que está a acontecer aos EUA na era pós-Reagan que apenas lucra a 1 ou 2 % da sua população - os estupidamente ricos).

 

Mas sendo o PS a ganhar, temos de ser realistas: Esta Troika que nos governará não trará boas noticias. Com a Europa a afundar-se num conservadorismo radical, com governos de direita a levarem a Europa para um beco sem saída, esta Troika vai impor privatizações em sectores chave, mudanças injustas na legislação laboral e cortes em serviços públicos.

A escolha é pois sempre má: É entre um Estado Social enfraquecido (programa Troika a ser aplicado pelo PS), e um Estado Social moribundo (programa Troika Plus, a ser aplicado pela turma do Compromisso Portugal, agora rebaptizada).

 

 

PS1 - continuo sem conseguir perceber como é que alguém que se diz de esquerda, como a malta do Bloco ou PC, pode continuar a dizer que foi boa ideia, nesta altura do campeonato, deitar um governo socialista a baixo...

PS2 - Apesar da derrota do PSOE em Espanha, ontem não se perdeu tudo: Os Verdes ganharam nas eleições de Bremen, na Alemanha. Esta Europa precisa desesperadamente de ser comandada por gente menos imbecil...

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 18:26

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.






Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...


subscrever feeds