Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Até hoje, dia 8 janeiro 2014, como Presidente República, Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Cavaco Silva está no poder há 6908 dias (18 anos e 339 dias). .

Agora temos, ao menos, este auxílio: Um relógio com a contagem decrescente para a libertação final!!

Agradecemos ao CDS-PP ter dado a ideia do relógio com contagem decrescente!

Este contador assume que o mandato de Cavaco terminará a 29 de Fevereiro de 2016 (para nosso azar, 2016 é ano bissexto)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D




7 ideias para a Social Democracia no Séc XXI: Conclusões

Sexta-feira, 26.08.11

É esta a minha reflexão sobre o que deve ser a Social Democracia no séc. XXI em algumas áreas de intervenção política.

Ao fazê-lo tenho consciência que a ideologia dominante nas sociedades ocidentais, e no nosso país, está longe do que defendo. O liberalismo, a procura do lucro fácil, dominam-nos, mas a situação actual torna incontornável a necessidade de mudarmos de vida, e tal como diz Mário Soares (maior inspirador deste meu texto), mudarmos de paradigma.

Mas o caminho pode ser longo, porque o pensamento e a prática reinantes têm sólidos apoios. Media, Think Tanks (como o Compromisso Portugal) e até Universidades dão ao liberalismo alguma credibilidade teórica, ao mesmo tempo que o tornam atraente para as massas, porque nos dizem que as melhores soluções passam por liberalizações, privatizações, flexibilizações laborais

 

Há pois que ripostar à doutrina dominante e construir uma alternativa credível a esta economia que nos está a conduzir para o abismo.

 

[neste ponto não resisto a abrir um parêntisis sobre as Faculdades de Economia de Universidades Públicas em Portugal. O ISEG, tem como Presidente o ideólogo do Passismo e do Plano Inclinado da SIC, o Prof. João Duque. Recentemente ouvi uma entrevista ao Prof. Daniel Traça, Presidente do Conselho Pedagógico da Universidade Nova de Lisboa, na qual este docente,  defendia com visível entusiasmo as medidas de austeridade da Troika...Apenas posso concluir que estas Universidades, pagas com o nosso dinheiro, se encontram ao serviço do liberalismo. Lamentável.]

 

Navegação:

Introdução;

A Guerra e a Paz; A Ética; As Desigualdades Sociais; O Sector empresarial do Estado; A Saúde e Educação; O Reformismo; O Ambiente; O Poder económico subordinado ao poder político;

Conclusões.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 18:43








Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...