Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

 



Livros recomendados Amazon.co.uk (kindle edition)


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D



Tempos de escuridão

Quarta-feira, 12.06.13

Um governo, instigado por uns senhores de uma troika, decide fechar uma estação pública de TV e Rádio, assim sem mais, de um dia para o outro. Um ecrã preto a simbolizar a escuridão dos tempos em que vivemos. Um modelo económico neo-liberal falido, que na hora do seu esboroar procura arrastar consigo para o túmulo os seus diletos ódios.

 

Os últimos 30 segundos de emissão da EPT ficam aqui para a história.

 

Salvou-se (pelo menos até agora) a página do Facebook, a qual merece decididamente o nosso "gosto" https://www.facebook.com/ERTSocial 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 02:18

De novo no Antigo Regime

Sexta-feira, 24.08.12

Há dias foi o Mexia, a dar bitaites e dizer que deveriam ser os funcionários públicos a pagar toda a crise. Ontem, veio um consultor do Governo, António Borges, anunciar ao país as orientações sobre o futuro da RTP e RDP. Fechar a RTP2 e a RTP1 será entregue aos privados, sob a forma de concessão.

Estas figuras que ninguém elegeu, que não possuem qualquer cargo oficial, mandam sentenças como se fossem os verdadeiros donos do país. Essas figuras confirmam-nos que estamos a recuar décadas e voltar a um regime totalitário e anti-democrático. Que direito tem Borges a vir mandar sentenças sobre o fim do Canal Publico de Televisão, cuja existência está inclusivamente expressa na Constituição?

Este Governo que deixa esta gente à solta, e que foi posto no poder com a cumplicidade do PCP e BE, é perigoso e vê nesta crise a oportunidade de ouro para instalar um regime económico selvagem ao serviço em exclusivo dos mais ricos.

 

PS- Bem este António Pedro Vasconcelos, que além de chamar fascitas a esta gente, fez uma defesa muito importante do serviço público de televisão: A ler aqui com atenção.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 12:47

A empresa angolana com sede no Panamá compra RTP?

Quinta-feira, 23.08.12

São angolanos, mas ninguém sabe ao certo quem são. A empresa tem sede no Panamá, para fugir ao fisco.

Em Portugal detém essa publicação protofascista, chamada "Sol", bem como parte da Cofina do Correio da Manhã e Jornal de Negócios.

Este grupo prepara-se para comprar a RTP2? Parece que sim...E ninguém se indigna?

Televisão pública

Grupo angolano cria empresa para comprar canal da RTP

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 15:09

O melhor canal para seguir as eleições americanas

Quinta-feira, 12.01.12

Do que conheço da Televisão americana, este é o melhor canal da atualidade: Current TV.

Para seguir a política norte-americana recomendo o programa Young Turks. O Pivô do programa Cenk Uygur desanca o establishment da política americana com assertividade e pertinência. É vê-lo aqui a comentar o discurso de vitória de Mitt Romney nas primárias no New Hampshire.

 

 

O link está aqui: http://current.com/shows/the-young-turks/videos/breaking-down-the-news-mitt-romneys-soulless-robot-corporate-promise-to-save-americas-soul e uma das frases que Cenk usou para descrever Romney foi: 

“This soulless candidate, this robot, this corporate machine, is going to talk about how he’s going to save the soul of America? That might have been the funniest part of the speech. I don’t need any facts to show you. Everybody out there — whether you’re a Democrat or Republican — is laughing about how Mitt Romney is going to save the soul of America. What a joke you are, Romney.”

Muito bom.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 21:44

Sobre o nojo

Terça-feira, 15.11.11

O relatório do grupo de trabalho para definir serviço público é um verdadeiro nojo, baseado em preconceitos ideológico, consagra uma ajuda às TVs privadas que já existem. Pelo meio ainda consegue ter um bafio salazarento.

Vamos por partes:

 

Sobre a ajudinha aos privados:

Balsemão, militante n.º 1 do PSD

 

“A forma como a televisão deve ser financiada em serviço público não é através de publicidade comercial, mas sim através de um financiamento que vem ou do Orçamento de Estado ou taxas e Orçamento do Estado, consoante estamos a falar da comunicação feita para o mercado interno ou para o mercado externo". Sim, senhor. Acabar com a publicidade na RTP seguramente que não é uma medida para ajudar as contas públicas. É apenas e tão só uma medida que visa o enfraquecimento, ou mesmo extinção, do serviço público e que beneficia grosseiramente os interesses económicos dos donos dos canais privados. Isto claro, tudo feito no âmbito de um grupo de trabalho pago com dinheiros públicos.

 

Sobre o preconceito ideológico

Moura Guedes, exemplo de isenção?

 

Este grupo teve a distinta lata de dizer que falta isenção na RTP. Se há canal que ainda pode ser visto com alguma credibilidade é a RTP. Apesar das Judites de Sousas (jornalista ferozmente PSD, que destilava ódio ao Sócrates e a todos os que o defendiam), a RTP destaca-se da concorrência pela positiva.

Quem pode achar que a TVI na era da dupla Moniz / Moura Guedes tinha uma pinga de isenção ou credibilidade? Ou que dizer do Plano Inclinado da SIC, no qual participava João Duque, o Presidente deste Grupo de trabalho? Para não falar, nos exemplos da imprensa escrita, a começar pelo Público, liderado por José Manuel Fernandes, que crucificou Sócrates assim que soube que o ex-PM não morria de amores pela OPA da Sonae sobre a PT?

Convém lembrar que as TVs, independentemente de serem públicas ou privadas têm a obrigação de "Assegurar a difusão de uma informação que respeite o pluralismo, o rigor e a isenção" (Lei da Televisão).

 

Sobre o bafio Salazarento

Seria cómico se o caso não fosse sério, mas defender isto é do mais salazarento que se tem visto neste país: "A promoção de Portugal através da imagem ou do som deve ser enquadrada numa visão de política externa e portanto quase que sob a orientação ou em contrato de programa com o Ministério dos Negócios Estrangeiros", afirmou o economista, que defendeu mesmo que a informação veiculada pelo canal internacional deve ser “filtrada” e “trabalhada” para passar a mensagem de promoção do país. Um tratamento da informação que, acrescentou, “não deve ser questionado”. “A bem da Nação”, rematou

Conversas em família, com Marcelo Caetano. Um bom programa para a renovada RTP Internacional

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 22:00

Falha de mercado

Quarta-feira, 25.11.09

Fala-se com frequência do estado da nossa justiça, outros sectores parecem-me bem mais degradados do que a justiça e pouco disso se fala.

Há uns dias davam-nos por garantido que Armando Vara tinha recebido €10.000 de Godinho. Haveria escutas efectuadas com equipamento usado pela Mossad israelita. Depois, mais tarde soube-se que nada disso foi interceptado. Ontem, ficou-se a saber que o juiz de Aveiro afinal não se recusa a destruir as escutas das conversas em que Sócrates participou.

Temos, pois, uma comunicação social seriamente afectada na sua credibilidade.

No meu entender, recorrendo ao jargão económico, existe uma falha de mercado. O mercado, deixado ao seu livre funcionamento, não é capaz de proporcionar ao cidadão uma informação honesta e desinteressada.

Questiono-me qual o remédio para esta falha. Confesso que vacilo na resposta. 

Uma comunicação social à la João Jardim, com forte influência do Estado, também não nos levará por bons caminhos.

Poderá a regulação desempenhar papel relevante? Sem dúvida, mas seguramente não nos moldes da inócua ERC.  No entanto, regulação de conteúdos é a execrável censura.

O tema é complexo e vital para a democracia.

Mas a tomada de consciência de que existe esta falha de mercado, é só por si um ponto de partida para a mesma seja atacada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por sitiocomvistasobreacidade às 19:29






Comentários recentes

  • Joao Saturnino

    Parabéns pelo seu blog, especialmente por este "in...

  • Frango Zappa

    Quanto custa o Mario?

  • E os Homens da Luta, por onde anda essa gente? E a...

  • cheia

    Tantos erros, e nem um culpado!

  • MCN

    O problema é a raqzão porque Afonso Camões não diz...